657484
Hoje
Ontem
Esta semana
Semana passada
Este mês
Mês passado
Todos os dias
142
2333
2475
650484
14630
20582
657484

SEJA BEM VINDO AO MUNDO DAS CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS

 

Este é um espaço de acesso livre, no qual se tratará de vários aspectos do Atual Estado da Arte e da Cultura nas Ciências Morfológicas, em alguns setores de suas diversas especialidades, de forma interdisciplinar.

 

Os conteúdos aqui abordados foram e continuarão a ser construídos e reconstruídos por vários atores que compuseram, compõem e virão a compor o corpo de pessoas que, na Área de Morfologia da Faculdade de Medicina, no ano de 2012, entenderam ser necessário reunir esforços para juntos estabelecerem um canal de comunicação com a comunidade interna e externa da Universidade de Brasília.

 

Com simplicidade e espontaneidade quer-se mostrar aspectos do nosso humano “Ser e Saber”, olhando para os seres humanos cientes, e buscando, em cada um, desvendar os mistérios do corpo desta espécie à qual pertenceremos. Como todos os outros habitantes do planeta e do universo, integrados à mesma natureza, estamos sujeitos às mesmas condições elementares, para que, como conjunto de indivíduos possamos sobreviver enquanto espécie. Para tanto, já foi alcançado um nível de conhecimento que permite à humanidade olhar para a natureza e entender que deste “TODO” de organismos somos uma “PARTE” capaz de manter a ordem na natureza, manipulando-a com respeito e contribuindo com a preservação das condições de funcionamento, desenvolvimento e, naturalmente, evolução das espécies parceiras que co-habitaram o planeta TERRA.

 

Quer-se aqui não apenas discutir a visão do especialista já que estes poderão não compreender as artes. Também gostaríamos de não nos prendermos à visão dos artistas, porque, talvez, falte a eles o conhecimento da filosofia. Igualmente os filósofos poderão não se interessar por Deus, mas os pastores poderão não compreender totalmente de política. Mas a visão dos políticos e da política permitirá a estes deter os saberes sobre antropologia, história e tecnologia?

E a visão dos cientistas permite-lhes explicar, seja pelo viés da antropologia ou da arte anatômica, a evolução da expressão facial humana; o refinamento dos músculos da laringe que permitiram a vocalização das espécies; a viviparidade que abriga um único feto dentro do ventre materno permitindo-lhe vir à luz do mundo, ou, simplesmente, analisar de forma racional e técnica a oponência do polegar humano, sem considerar que sem este aspecto estaríamos atrasados em nossa trajetória evolutiva por cerca de 80 a 60 milhões de anos?

 

Muitas perguntas intrigantes surgem em um ambiente de ensino, pesquisa e, naturalmente, de popularização dos saberes conquistados. Pretende-se com este exercício de convivência virtual provocar perguntas, levantar curiosidades adormecidas, despertar uma inquietação gostosa que conduzirá muitos a outras incertezas. Nesta época em que muitos, de maneira direta ou indireta, podem se comunicar, pode-se e deve-se desenvolver projetos capazes de oportunizar uma forma de releitura do conhecimento com ampla visão cultural, moral e espiritual.

 

Desta forma, entendeu-se que esta especialidade, a Morfologia, ciência primeira da forma, galho imortal da Biologia, vem provocando, desde o Período Cambriano Médio, há cerca de 540 milhões de anos, quando surgiu o primeiro cordado, Pikaia gracilens, uma inquietação nos estudiosos desta área. Corpos se construíram, adaptaram-se, evoluíram. Dentre as novidades evolutivas destaca-se este “Corpo Humano”, que como espécie detemos temporariamente por um intervalo “tempo-espaço” que os cientistas qualificaram de “vida humana”.

 

Conhecer o “Corpo Humano” é direito inquestionável, individual e coletivo da humanidade. Este é um paradigma que a Morfologia contemporânea tem de perseguir. O conhecimento de si e do outro passa, necessariamente, pelo autoconhecimento que prescinde de saber: o corpo que temos, o corpo que somos, o corpo que sentimos, o corpo com o qual interagimos no mundo em que estamos. As especificações possíveis estão na leitura/releitura interdisciplinar da ciência, da arte e do sagrado. 

 

Vamos à busca?

 

Obrigado por aceitarem este convite.

 

Área de Morfologia
Local: 2° andar, Bloco B da Faculdade de Medicina, Campus Darcy Ribeiro, Universidade de Brasília.
Telefone: +55 (61) 3107-1912 / 3107-1921